segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Saia com foto de calcinha

Tô sem fazer nada em casa (1) e, de repente, paro pra assistir o Tudo é possível, apresentado por Eliana na Record. Aí eu vejo cinco boazudas desfilando numa rua, com saias estampadas com calcinhas atrás. Isso mesmo: saia com foto de calcinha. Acompanhando as damas (2), a pergunta soltada pela loura: essa moda pega?

A coisa começou uns tempos atrás, no Japão. No entanto, em vez de impressão na roupa (como no caso das modelos), a estampa é pintada. A mão nipônica é, de fato, meticulosa - reproduz fielmente a bunda da mulher; mas as fotos mostradas só tinham saias com estopa (3). Já as brazucas, ai titia!, ai se a moda pega! Claro que algumas vão optar por estampas de estopa também, mas algumas... Ê torança! (4) E, como não podia deixar de ser, houve consulta popular. Já se esperava a divergência de opiniões entre homens e mulheres, embora a maioria dos marmanjos tenham gostado da idéia. Naturalmente, aquela nuance de machismo: saia com foto só com a mulher dos outros.

Mas o que me chamou mais a atenção foi a proveniênica da vestimenta. Até onde sei, a cultura japonesa tradicional é sóbria até o osso - e isso apesar dos hentais. Cê veja como é a tal da pós-modernidade - muito semelhante ao efeito borboleta, ninguém sabe quais os efeitos dos fenômenos pelo mundo afora. Daqui a pouco vão fazer estampa pra destacar o capô...

P.S.: desculpem a falta de imagens, o Google não colabora...
P.S.S. (acrescentado em 23/11/2008): confiram o primeiro (e, até agora, único) comentário a esta postagem, é elucidativo para o efeito borboleta, isto é, efeito saia-com-foto.

(1) Sou VASP.
(2) Seriam damas de lotação? Ui!
(3) Fazendo a verificação idiomática no Google (só pra checar se outros lugares do Brasil usam estopa como no potiguês - português do RN -, isto é, uma calcinha enorme), não pude deixar de incluir esta piada:

"A garota veio do interior para a cidade grande para a sua primeira consulta ao ginecologista.
Quando o médico decidiu examiná-la e pediu que levantasse a saia, não conteve o riso.
- Seu dotôr - disse ela, envergonhada. - O senhor tá fazeno pôco de mim, só por causa di quê eu uso calcinha feita de estopa?
- Desculpe, senhorita! Só achei graça os dizeres: 'Ração para Pinto'."

(4) Sabe aquelas calcinhas diminutas, estilo Ana Maria ou Kátia Flávia (cf. Fausto Fawcett)?

Um comentário:

Ana Lee disse...

Isso é provavelmente moda de Tóquio, lá eles são bem ousados em relação à roupas. Ousado no sentido de fazer coisas diferentes da cultura tradicional fechada, e não necessariamente vulgar (são calcinhas, mas são calçolas!)

Baú de traças